Esfoliantes e Microesferas: os riscos da beleza industrializada

a4ac80edc240f6b481cf2f22156a35c6Esfoliantes são produtos cosméticos que nos ajudam a eliminar as células mortas da pele e promover renovação e vivacidade. Eles possuem essa propriedade por incorporar em suas fórmulas microesferas feitas para criar atrito mesmo com a pele e a partir daí remover o que não está vivo. Quando estas microesferas não feitas de produtos naturais temos um problema. Elas são feitas de plástico de polietileno ou polipropileno. Esta semana o presidente americano Barack Obama conseguiu aprovar um decreto que proíbe o uso de microesferas usadas em cosméticos esfoliantes devido ao grave risco que elas representam.

Segundo a revista Galileu:

“É comum que cremes e sabonetes esfoliantes contenham microesferas feitas de plástico. Elas servem para ajudar a retirar a pele morta dos usuários – mas, assim como outros produtos fabricados com o material, representam um perigo ao meio-ambiente. Com a intenção de frear esse processo, esforços têm sido feitos em Nova York para banir a poluição causada pelas bolinhas.

Geralmente, as esferas minúsculas são feitas de polietileno ou polipropileno variando em tamanho de 0,004 a 1,24 milímetros. O problema é que, como são pequenos e flutuam, escapam com facilidade das estações de tratamento.

No fim, elas acabam atuando como esponjas para poluentes químicos. Em mais: chegam a ser confundidas com alimentos por seres aquáticos — os poluentes podem entrar na cadeia alimentar e contaminar os peixes que os humanos comem, além de aves, tartarugas e mamíferos.

Um estudo estima que cerca de 19 toneladas dessas microesferas são descarregadas todos os anos no fluxo de águas residuais do estado de Nova York. Em 2012, uma pesquisa nos Grandes Lagos da América do Norte usando uma rede capturou grande quantidade do material. Estudos em 2013 confirmaram o número elevado de microesferas na água.

As esferas atuam como esponjas para poluentes químicos.”

Esse é um assunto que já vem sendo discutido há algum tempo e algumas empresas tem procurado tomar providências e se comprometido a retirar as microesferas de seus produtos. No entanto, ainda se vê produtos nas prateleiras sem modificações.

Entidades por todo mundo tem se mobilizado para conscientizar a população para o não uso de produtos com essas microesferas. O vídeo abaixo traz uma explicação mais detalhada da organização americana sem fins lucrativos Thank you ocean  sobre o impacto das microesferas. (O vídeo não possui legendas em português mas ainda assim é bem ilustrativo sobre os riscos de se usar produtos com esferas de polipropileno ou polietileno).

Citada no vídeo, a campanha “Beat the Micro Bead” tem adesão de quase 80 organizações e está presente em 35 países. Inclusive ela oferece um aplicativo que pode verificar se um produto com propriedade esfoliante possui microesferas apenas escaneando o código de barras com a câmera do smartphone.

No Brasil, apenas as empresas maiores e com alguma consciência ambiental (como a Natura) tem se mobilizado para reverter esse quadro. As demais ainda continuam produzindo produtos com microesferas de plástico.

Se você é adepta da beleza sustentável não custa se policiar. A questão agora é ficar de olho aberto e não usar mais este tipo de produto. A alternativa é usar produtos naturais que revelam o mesmo resultado de esfoliantes industrializados.

efddd0924a4e54cd4bee6fb79069f70d

Nossa receitinha então é misturar 2 colheres de mel com 2 colheres de açúcar (de preferência os mais grossinhos como o cristal ou demerara) e aplicar no corpo esfregando bem. Logo após a aplicação, tome um bom banho quente e hidrate a pele posteriormente. Você vai senti-la macia e sem fazer mal ao meio ambiente. 😉

Obs.: Se for usar no rosto, cuidado com a esfregação pois a pele é bem mais sensível.

Comentários

Comentarário(s)